quarta-feira, 18 de abril de 2007

SONETO ROMÂNTICO (de Wilson Roberto Carvalho de Almeida)

Procuro um amor,amor que transcenda.
Saiba dar, mas também busque prazer.
Que me entenda e se deixe entender.
Amor sublime, que ensine e aprenda.

Que me expulse, e também me compreenda.
Amor que queira sempre o querer,
amor que a morte não possa conter,
amor forte, que para sempre se estenda.

Amor maior que a dor, amor que valha.
Amor que, mesmo em meio à agrura,
ainda me rasgue o peito a navalha.

Amor que exista só numa alma pura,
que torne os abraços nossa mortalha,
que faça do leito minha sepultura.

.

9 comentários:

Me Morte disse...

A utopia do amor, o amor que eu só vi nos livros. Amo esse teu soneto.
Muito lindo. Beijos

Mão Branca disse...

fera.

emanuel disse...

ZZZZZZZZZZZZzzzzzzzzzzzZZZZZzzzzzzz...

Thin White Duke disse...

belíssimo soneto!

flew!

Deveras disse...

Quem nunca sonhou com um amor assim, que atire o primeiro pedido de divórcio...

ficanapaz

Fernando disse...

Belíssimo.

Muryel De Zoppa disse...

gosto muito da tua escrita, parabéns.

Pinguim® disse...

Belissimo, você é demais maninho.
Pati

luizha disse...

Wilson,adorei seu soneto,que coisa boa..suas poesias me fez um bem danado,te-lo como meu professor de literatura,foi divinooo parabéns bj luiza