quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Eu Sou Eu


Eu sou eu.
E juntamente com milhões de outros eu's
Torno-me uno e indivisível.

Tem um que vive bêbado pelos cantos da sala,
Seja segunda, terça, quarta...
Não importa!
Ele apenas se embriaga com um elixir amargo,
Num copo de vidro rachado,
Que ao menor toque se quebra,
E o faz viver nesse mundo, sua quimera.

Tem um que não faz nada, apenas dorme.
Como se todo sono do mundo
Estivesse nele guardado,
O relógio que grita, às sete da manhã,
Não o acorda, pois acorda outro,
Que não dorme, apenas trabalha,
Dia, no escritório, noite, no sono insone.

Tem um eu engraçado, metido a palhaço,
Daqueles que se ri de tudo,
De um gracejo sem graça,
Ou de uma queda de avião,
Quando vê na televisão,
Os corpos carbonizados na mata.
Quem chora é o outro, que só tem nos olhos lágrimas.

O chorão vive com o semblante cansado,
Perambula sempre pelas ruas e esquinas
Dos meus órgãos e células, cabisbaixo,
E se entristece ao pisar numa formiga,
E, em sua sensibilidade entorpecida,
Se enternece ao ver nas nuvens o arrebol,
Queimadas, tal qual os corpos, pelo pôr-do-sol.

Tem um que é sonhador, poeta, suicida,
Que se mata várias vezes num mesmo dia,
E renasce frustrado das suas cinzas,
Tal qual uma Fênix que maldiz seu destino,
E inveja de longe uma ave de rapina,
Que vive uma única vez
E conhece o prazer real da verdadeira morte.

Tem um vagabundo, apaixonado, analfabeto,
Culto e também um crente,
Que vive na Igreja e por isso se acha decente,
Tem um que é médico - burro e incompetente -
Um advogado que advoga a si mesmo
E sempre sai perdendo,
Além de um administrador mal sucedido e falido.

E é assim que, na minha pluralidade,
Eu sou eu.
Juntamente com outros milhões de eu's
Que me tornam uno e indivisível.

André Espínola

4 comentários:

Eduardo Perrone disse...

Se o autor se assume, ele não admite resumo alienígena... E André discorre maravilhosamente sobre isso.

Kumka disse...

Belíssima auto-reflexão, André.
:)

medusa que costura insanidades disse...

muito interessante André gostei mesmo....

Anderson H. disse...

auto reflexão aprovada