terça-feira, 21 de agosto de 2007

Gira o Mundo





Gira, gira, gira o mundo, e eu
Sem saber... Aonde a roda me levará.
Para conhecer a paz, devo na guerra morrer?
Para meditar no que não voltará jamais,
Devo partir?
Vou caminhar, não devo me iludir com o que encontrar
Na rota louca de não saber aonde ir.


A "Porta do Sol", o vôo de um Homem: Pássaro.
A deixar seu rastro na dimensão de se estar,
Muito além da sombra de algum planeta
Ou do sentido de se empunhar a uma caneta.


Na madrugada sou o que com o vento partiu,
O que a terra engoliu. E na tarde, o encantamento
De poder retornar ao amanhecer.





(Ilustração: desenho de Remedios Varo - Criação de Aves)

4 comentários:

Lena Casas Novas disse...

Bom esse poema! Gira, gira!

Bardo disse...

sim, bem bacana.

o sacerdote disse...

Querida Ângela
sou fã de seu nome e de suas criações....ainda nao havia lido um poema seu tão extenso e tão profundo! simplesmente maravilhoso! beijos em sua alma colorida!

angela gomes disse...

Grata por suas leituras e comentários.
Fico Muito Feliz que tenham gostado.
Abraços Grandões!!!