segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Estações do Poeta

I
Lá fora, chove.

- e as águas enchem as ruelas,
derrubam barracos,
e no Derby motoristas em carros lentos
tocam sinfonias com as buzinas
e acreditam que o som de seus instrumentos
tirá-los-á do congestionamento -

E o sol seca aqui dentro.

- e no Recife do meu mundo
o calor tropical me leva à praia
de Boa Viagem onde me sento
me bronzeio e tomo cerveja
enquanto cegam-me os raios solares
refletidos nas ondulantes águas -

II
O sol queima lá fora.

- e as senhoras da menopausa
praguejam contra o calor ardente,
abrem as janelas e portas das casas
para refrescá-las o mulherengo vento
por debaixo de suas saias
fazendo-as suspirar de alívio e de tormento -

Chove, aqui dentro.

- a tempestade sorri com escárnio e alaga
todas as ruas e casas
construídas com labor orgânico
das células que em mim vivem
e morrerão ou afogadas
ou pelo efeito do tempo -

III
Morre-se lá fora.

- e as folhas secas e amareladas caem das árvores
durante as mortes do outono
e o suicida filósofo, artista e louco,
que pula do CFCH* a fim de voar, mas não voa,
cai
e beija a terra -

Vive-se aqui dentro.

- e vejo surgir minha primavera
em jardins coloridos e bem-cuidados
pelo jardineiro bêbado que se embriaga
através do aroma das rosas, dos cravos,
colhendo a mais bonita
e beijando sua flor predileta -

IV
E vivo assim pelo inverso,
Através das estações dentro e fora do poeta.


* Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Pernambuco. Há casos de estudantes se jogarem do 14º Andar numa tentativa de provar a inexistência da gravidade.

André Espínola

3 comentários:

Marcos disse...

Le Engagement Apavorando

Muryel De Zoppa disse...

muito bonito, André. Com este cheguei a engasgar.

Moniquinha disse...

Maravilhoso...a vida para mim é assim, como as estações do ano...às vezes cheia de cores, outras cinzenta, ora seca ora encharcada...e assim ela segue. Felizmente, ao contrário das estações do ano, que têm dia marcado para chegar e partir, em mim, quem decide o tempo que dura minha primavera ou meu inverno, sou eu. Adoro verão,desdenho do outono e do inverno, e vivo primavera.
Parabéns!