domingo, 2 de setembro de 2007

Silêncio! A Morte está dormindo!


(Adaptação do poema "Xará Demônio" de Mão Branca / por Me Morte)




.
Na encruzilhada
Entre o rio e a estrada
Contatei o Demônio
Que sabia meu nome
.
Me Morte!
Que tal me dar abrigo em seu sarcófago?
.
Falei: Xará,
Que tal deixar meu rabo em paz?
.
Sorriu inocente
Inebriou-me a mente
.
E o Vale nunca mais foi o mesmo...
.
Anarquista, grosseiro, irreverente...
Com sua bela balela
Esclareceu-me singelo
.
Falou: Xará,
Teu rabo já é meu há tempos
Agora o Vale! hehehe
.
.
.
Mão Branca/Me Morte
14/03/2007
(Feliz Aniversário Diogo, um fã do trabalho de Me Morte)





5 comentários:

Diogo disse...

obrigada dona morte
eu gosto dessa foto do vale e do poema também.
beijos

Paulão Fardadão disse...

Ele quer ser o Wolverine.

Me Morte disse...

Com certeza Paulo. Acho mesmo que se ouvisse isso ia ficar feliz,rss
Valeu

Me Morte disse...

O Diogo é meu super herói, beijos Diogo!

Me Morte disse...

Valeu Paulão, valeu Diogo, espero que teu niver tenha sido como planejou, eu adorei te ver por aqui. Beijos