segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Nenhuma mudança


A noite chegou
E os sonhos acabaram
Ao passar pela porta
Nada mudou
No seu mundo
Os olhos dizem que você é o mesmo
Feche os olhos
Tente novamente
Você conseguirá
Mas, nada mudou
Os lábios não mentem
Por entre palavras
Que você está preso
Na sua própria armadilha
Você reviverá os mesmos dias
É esse mundo que você conhece
O passado não mudará o seu futuro
Então, siga em frente
Esqueça que a história existiu
E o tempo silenciará
As marcas do mundo
No seu ser

Um comentário:

lena casas novas disse...

Esse formato. Cachoeira caiu bem com a evolução do texto!