segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Samba Roots

Quando ela entra dançando
passeia altiva na passarela
é fogo no corpo cantando;
a quadra toda admira
a quadra toda é dela

Solta sozinha no samba
pele trigueira que brilha
um dia ainda crio coragem
e digo em forma de canto:
ah, Morena, como eu te (s)am(b)o!

Um comentário:

Larissa Marques disse...

Sambinha bom, adorei o escrito!