terça-feira, 17 de novembro de 2009

Nas barbas do Capibaribe


os olhos
angelicais das
nuvens

acusam-me;

a brisa,
a mais morosa
das brisas

dilacera-me;

os deuses
e sua corja
de assassinos

perseguem-me;

e diante
da maldição
do mundo

refugio-me;

nas barbas
do Capibaribe.

André Espínola

Um comentário:

Reflexo d Alma disse...

Ei!
Construção linda.
Bjins entre sonhos e delírios