sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Vão

a palavra presa engasga
não digere
fere a glote
o trato gástrico
e queima a falta do ato
a falta do fluxo do dizer
é refluxo
incompreensão que teima
vai e vem
e torna em azia
só consegue expressão
no vão do verso da poesia

2 comentários:

Leonardo B. disse...

[tem uma imensa, gigantesca força, a palavra; por vezes paralisa]

abraçimenso

Leonardo B.

Mensageiro Obscuro disse...

Texto marcante, tem uma expressividade cativante.