quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Vampira


Sedenta
provo com a língua
e gosto
do gosto
do teu beijo.

Tua desdita,
meu desejo.

Deixo-te vazio
e me afasto,
satisfeita.

Devoro a alma,
mas ponho
no pires do meu gato

o sangue
dos homens que mato.

(poema do meu livro LEOA OU GAZELA, TODO DIA É DIA DELA)

2 comentários:

Cris disse...

Ser vampira em toda a sua excelência e sensualidade. Em todas as formas e cores de nós, femêas.....!!!!
Adorei!

P. Treuffar disse...

Bom d+