segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Meu Reino




meu reino
teria uma casa velha
de madeira,

uma senhora bonita
de olhos verdes
e dois herdeiros
pentelhando pela sala,

seus sorrisos
ecoando
pela eternidade
de nossas vidas.

eu estaria bebendo
cachaça na cadeira
de balanço,
coçando a cabeça
de um vira-lata velho
e pulguento,

olhando para o céu.
como um soberano
orgulhoso.

mas desse meu reino
uns já se foram
e outros nem chegaram
a existir.

tanto melhor assim.

sem herdeiros,
meu reino fenecerá
logo depois de mim.

André Espínola

Um comentário:

Ju disse...

Me dá aquela sensação de triste e bonito. Nem sei se tão triste, mas bonito.