quarta-feira, 3 de agosto de 2011

a visita do poeta

foi numa tarde de quarta
poucas horas
mais que um livro
dono de olhos opacos
como que insatisfeito
tinha poesia nas mãos
bem mais que um livro

e ficaram as palavras apenas
e a indagação
do que eu olhava
ficaram as palavras apenas
naquela casa simples
de piso frio e dedos mornos
a visita do poeta
deixou-me poetiza
bem mais que antes

ele me contou
que há vinte e seis anos
chora
olhando o horizonte
não querendo sol.

2 comentários:

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Que bonito! Fiquei com a imagem em mim. E também queria uma visita dessas para me inspirar...

Larissa Marques disse...

obrigada, querida!