sábado, 28 de julho de 2012

Em teu regaço

Entrelaço, em meu Ser,
Tua singela virtude,
Adornada de afagados desejos!
Respiro os males, outrora afamados
Dizeres que, de tão obtusos pensamentos
E constantes, deambulam…
E perduram na ordenação das ideias.
Só tu, poderás salvar
As intempéries deste pensamento!
Sei que…
Só tu, salvarás
Esta alma desencontrada
No limiar da razão.
Quito Arantes/Portugal

5 comentários:

Reflexo d'Alma disse...

Sabe Quito,
não visito blogs para deixar palavras sem nexo ou adulações.
Só vou a blogs que gosto do que
leio e da sensação boa que me passam as palavras ali deixadas.
As vez me dizem que escrevo bem, por isso me lêem,
outra tentam me magoar pondo regras à minha escrita.
Ja me deixei abalar, hoje penso como mario Quintana>: Os que me falam tais coisas, eles passarão enquanto eu : PASSARINHO,
sigo adiante.
leio você, Paulo e silvioafonso aqui tambem
porque o que escrevem
acrescentam a minha vida de gente...
Adorei a poesia desse mes.
Especialmente o que friso:
"Só tu, salvarás
Esta alma desencontrada
No limiar da razão."

Amo tê-lo por perto,
por aqui onde ja estou ha 3 anos entre sonhos e delírios, claro.

ELAINE disse...

Bela poesia! Terei uma postagem nova na segunda-feira, dia 30 de julho.
Grande e carinhoso abraço!
Sábado e domingo abençoados!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Lampejos Poéticos disse...

Muito lindo poema.
Abraço

Ayesk@ disse...

Gostei!!!
Parabéns!!!

Passando para conhecer o Blog e deparei-me com textos incríveis!!!

E nesse deixo meu carinho e beijos doces!!!


Ayesk@

Dídimo Gusmão disse...

Que texto legal de ler.
Parabéns! Quando escrever outros me avise.
Virei sempre ler.
Abraços.

http://didimogusmao.blogspot.com.br/