sábado, 28 de setembro de 2013

SONETO AO BAR

Bebemos versos feitos de palavras
Lapidadas na mente sempre ativa;
Pureza das purezas mais que raras
Numa visão astral contemplativa;

Bebidas que nos dão idéias tão claras
Deixando nossa alma alegre e festiva;
Vivemos traduzíveis e reais farras
De palavras sonoras em nós viva;

Bebemos tudo, menos a tal água
Que não é capaz de curar a mágoa
Dos amores que sempre carregamos;

Os versos se derramam como vinhos
Finos envoltos por doces carinhos
Ganhos da pessoa que muito amamos;

3 comentários:

Kaka Stelê disse...

"Bebemos tudo, menos a tal água
Que não é capaz de curar a mágoa" Belíssimo soneto Samuel parabéns!

Grande Abraço!

Giovani Iemini disse...

seja bemvindo.

Simone Melo disse...

"Sim, bebemos do vinho,
pois sabemos que contendo álcool,
nos embriaga, nos vicia e nos leva para outro mundo, o da fantasia, aquele onde podemos sonhar, ser e ter quem queremos..."

Adorei, palavras bem colocadas
e degustadas por nos teus leitores...Abraços