quarta-feira, 26 de março de 2014

Quando nos conhecemos

Quando me conheceu,
pensava que seria assim?
Pensava que teria nojo de mim?

Quando me beijou pela primeira vez,
sentiu seu estômago embrulhar
ou logo depois me fulminou com o olhar?

Ou não?

Quanto te conheci
já não tinha esperanças,
revivi em ti a criança?

Quando te beijei,
o sabor era insuperável?
Era pra ti, inestimável?

E agora?

Somos pessoas estranhas.
Sentindo as marcas
bem lá nas entranhas,
com todo furor,

do nosso ódio/amor.

E cuspindo em tudo que aconteceu,
amaldiçoando o que já foi seu e meu,

esquecemos de tudo.
Esquecemos da valsa
que tocava lá no fundo
A nossa valsa,
no nosso mundo.

Onde a única preocupação
era bailar e brincar.

Porém, já não é mas assim,
não deu pra evitar.

Enfim,

pobre dos dois
que quando se conheceram,

não pensaram no fim.

Publicado originalmente em: http://ilusoesliterarias.blogspot.com.br/

Um comentário:

ॐ Shirley ॐ disse...

O tempo é cruel...
Abraço!