quinta-feira, 10 de abril de 2014

Convidada Talize Cardoso



O disparo de Raul

A ordem primária dos feitos, dos fatos, da farsa e do farsante, é que um pensamento resguardado seja mesmo itinerante. Atropele os relances frágeis, memórias de botecos anteriores, uma década sem amores, assim como Raul e seus concessores.
Raul tinha amigos que insistiam em lhe ceder favores. Cediam-lhe o mais caro ingresso, os vinhos de maior sucesso, cargos nos setor do progresso, mas Raul era um caso ingênuo, um sujeito imerso.
Dalila, sua companheira, era afamada por demasia em bondade, retribuía aos amigos de Raul, os desejos da informalidade. Aconselhei Raul a manter o equilíbrio, aceitar os fatos com maturidade, e num último boteco, lancei com imparcialidade: Raul, você é corno e sofre de ansiedade.



---

Talize Cardoso


Um comentário:

Idolidia Glez disse...

Amigo muy bueno todo lo que he leido pero no encuentro el link para seguirte :/ Si deseas dejamelo saber. Saludos!