terça-feira, 9 de dezembro de 2014

ANDO POR AÍ


Tudo na merda
Pensamentos negativos
Nada de bom
Desagradável
Perspectivas erradas
Delírios efusivos
Desarmonia
Tudo que eu não quero eu tenho
Tudo que eu não gosto pinta
E vai piorando
Depois da erva do diabo, fode!
Sou uma minhoca trabalhando no subsolo de uma delegacia
A vida não sorri aqui
Sem janelas
Sem sol
Dias passam sem paisagem
Vou carregando o peso dos outros
A prisão do trabalhador é ganhar
Expectativas alheias às necessidades humanas
A obra da existência é o desconhecimento
Somos cadáveres insepultos de olhos fechados
Bebidas, cigarros e calmantes são os subterfúgios aceitos.
Ando por aí


Pablo Treuffar
Licença Creative Commons
Based on a work at www.pablotreuffar.com
A VERDADE É QUE EU MINTO

A VERDADE É QUE EU MINTO

Um comentário:

dinapoetisadapaz disse...

E que bela escolha fizeste , Samuel, um poema que expressa a realidade de quase todos nós, vivemos num mundo onde sobra desprazer e nos falta para provimentos necessários ao viver.
Grata pela passagem em meu blog e suas amáveis palavras, adorável amigo!
Bjs no coração;