quinta-feira, 12 de abril de 2007

A Visão INFAME ( de Anaconda de Deus)

Nesta NAÇÃO, pátria bela.
Passo VERGONHA por estas terras
Bebo SANGUE e como a MERDA
Empurrada na minha goela
Por mãos que estão calejadas
De tanta MERDA que já fora empurrada
Por esta goela que já esta toda deformada.
Por onde passa, mas não volta.
Sou obrigado a engolir
Tudo isso que esta a vir
Já não consigo respirar,
E nem tão pouco regurgitar
A MERDA que não para de entrar
Pois são muitas mãos a empurrar
A mim só cabe aceitar
E me calar
Com a boca cheia de MERDA.
Nesta Terra
Que aprendi a AMAR.


Anaconda de Deus

11 comentários:

Deveras disse...

Poucas vezes vi um poema em que o título se apresentasse tão propício. Há realmente muita merda na conjuntura atual, entretanto a visão de ingerí-la, causa um asco tal que nos leva a pensar que seria bem produtivo se usássemos essa indgnação toda para combater toda essa merda que nos rodeia (violência, falta de recursos, corrupção, etc).

Poesia bem pesada esta tua Anaconda.

ficanapaz

Lameque Hyde disse...

Mais do que infame, trata-se de uma visão indignada de todas esta merda que nos cerca mas que, na última estrofe, da lugar a esperança de que as coisas mudem, nem que sejam através do amor a terra onde nascemos.

Mão Branca disse...

o texto é uma merda mas a sensação é a mesma que sinto.

emanuel disse...

lixo!

qual é, anaconda?

vai ficar brincando d fazer rima, porra?!?!?!

emanuel disse...

isso é coisa séria!

Thin White Duke disse...

o final realmente ficou bom... algumas rimas excessivas em "ar" incomodaram um pouco, mas no geral eu gostei...

flew!

Anaconda de Deus disse...

valew, valew, muito obrigado pelas critcas, esse pra mim foi dificl pois não saia começar mas deu tudo certo, muito obrigado a me por me postar o testo

Me Morte disse...

Não precisa agradecer pelo TEXTO que postei,estou aqui para isso também.
Eu gostei do poema por que ele se cumpriu ao papel que vc designou para ele, definir uma merda, tá definida exemplarmente, merda e meia,rss. Beijos

Anaconda de Deus disse...

vd

Eliane Alcântara. disse...

O problema é justamente 'aceitar e calar', porém é o que todos nós ou quase todos, por vezes fazemos, quando deveríamos colocar em campo o amor apresentado no mesmo texto.

Véïö Chïñä‡ disse...

Mas Q. Merda!!!

Estamos na Etiópia e nao me falaram nada??

Haja pessimismo, heim??