quinta-feira, 24 de maio de 2007

NATUREZA FERIDA

NATUREZA FERIDA

Gotículas cantam
Tristemente,
Pegadas grudam
No solo,
O calor te ruiu
Gravemente,
Agora,
Tenta alcançar
Teu pólo.

Não há tempo
Para despir,
Varal inundado,
Vestes a cair.

O vento
Intrigante,
Tirou
O arco-íris do ar;
Sei...
Estás ferida,

A poluição
Estonteante,
Sepultou
Um pedaço do mar;
Agora,
Tenta perturbar
Tua vida.

Autora: Lena Casas Novas

repercussão:
Desenvolvimento sustentável
Bar do Escritor
Manufatura

9 comentários:

Me Morte disse...

Linda! Linda! Linda! Tu chegou arrebentando. Sumida! Parabéns pelo poema. Beijão

Mão Branca disse...

tb sou sensível à natureza.

Anderson H. disse...

um belo poema Lena. Parabéns.

Fernando disse...

Pôxa, bonito mesmo.

Apenas um toque: é arco-íris. Ou houve algum trocadilho?

Jeandro disse...

Lindo poema...
uma forma singela de falar da tristeza que nossa natureza vem sentindo.
parabéns Lena.

lenacasasnovas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
lena casas novas disse...

Fernando, nem percebi que a Íres estava por lá!rsrsrs. Obrigada!

[barba] Uonderias disse...

é, muito sumida!

Antônio Alves disse...

Estou em dúvida se é uma poluição literal.

Abraços!