quarta-feira, 13 de junho de 2007

O Anjo Torto (ao Torquato Neto)




- Doutor, ele não anda direito. Está sempre caindo. É um cair e levantar sem fim.
Veja! É todo cheio de hematomas!

- Deixe-me examinar seus pés garoto. Hum... Perfeitamente normais.

- Não pode ser Doutor!

- Calma Senhora. Vamos ver os joelhos. Hum... Tudo certo com os joelhos.

- Mas como Doutor?! O menino está que é só remendo. Todo arrebentado de tanto cair. A vida dele é só essa, queda em cima de queda.

- Calma Senhora. Talvez seja a coluna. Hum... Normal.

- Santo Deus Doutor!

- Senhora, não há de ser nada grave. Bem se vê que o rapaz é mirrado, que não dá para os esportes. Mas, me diga, qual a atividade que atrai seu filho?

- Escrever. Ele passa o dia escrevendo poesia.

- Então é isso! Ele tem é a alma torta. Vai cair e levantar pela eternidade.

- Deus do céu Doutor!

- Calma Senhora, os anjos que nascem tortos de alguma forma endireitam o mundo.
.
.
De Anderson Henrique de Sousa

8 comentários:

Me Morte disse...

Quando entra um texto assim dá gosto de ler. Inteligente, coisa de primeira. Anderson, tu é porreta meu, adoro tuas coisas. Beijos

Mão Branca disse...

cara, e quando os escritores não conseguem mais se levantar? quando o fracasso da vida superam as chances de reerguer-se? o que fazer?

bem bacana.

Klotz disse...

Vai Anderson! ser gauche na vida.

Deveras disse...

Belo texto. Bela homenagem. Já gostava dele desde o Bar.

Pena que não nasçam tantos anjos tortos e que alguns que nascem pegam o bonde mais cedo e voltam para o etéreo...

ficanapaz.

[barba] Uonderias disse...

excelente!

Thin White Duke disse...

essa é clássica do Anderson!
mto foda!

flew!

Lameque Hyde disse...

Extensivo aos contistas. Ótimo. Congratulações.

Wilson R. disse...

.

Perfeito, perfeito, perfeito. Homemagem aos escrevinhadores.
Parabéns.

.