quarta-feira, 18 de julho de 2007

REFLEXÕES I

MESTRES

Tolos precisam de mestres, e o mundo está abarrotado de tolos. E cada tolo tem seu mestre particular: pode ser Jesus Cristo, Sidarta Gautama, Mahatma Gandhi, Tancredo Neves, Getúlio Vargas, Benjamin Franklin ou Adolf Hitler. Tolos seguem algo ou alguém, sejam os seguidos santos ou genocidas; sejam os seguidores religiosos fervorosos ou ateus convictos. Aliás, este é um ponto importante: os ditos ateus são seguidores de seres ainda mais abjetos que os religiosos. Alguns pregam Karl Marx com a mesma estupidez irritante que os protestantes esbravejam aos céus suas besteiras, crentes de que o ABSOLUTO é surdo.

E é errado seguir? Evidente que sim! Já lhe ocorreu que as verdadeiras almas, iluminadas para a sua época, nunca quiseram ter seguidores? Então, é errado ter fé? Não! É evidente que não! A fé move o mundo! Infelizmente, hoje, em direção contrária, mas move. Devemos, sim, ter fé. Apenas não podemos deixar nossas crenças nos consumirem a razão, fazendo-nos seguir cegamente alguém que, se de fato foi digno, não desejou milhões de néscios em seu encalço.

Se acaso considera seguir alguém como o caminho correto, então, em vez de criticar-me, deixe-se morrer como Sidarta. Ou crucifixe-se como Jesus Cristo. Digo: faça o que você considera certo, mas faça! Não apenas considere. É claro que isso não mudará o mundo em absolutamente nada, mas ao menos mostrará que você é capaz de fazer o que prega.

Este é o grande problema com os seguidores de algo/alguém: pregam e apenas pregam. Infelizmente, por todo lado, vemos absurdos como kardecistas racistas, protestantes que matam católicos que matam protestantes, budistas briguentos, ateus que têm medo do diabo e líderes religiosos que pregam abstinência, mas são gulosos e libidinosos. Evidentemente, vemos alguns que fazem o que pregam, mas isso é raríssimo.

Entenda: não há nada de errado em ter uma crença religiosa, se isso o agrada ou você precisa dela. Podemos ter nossas crenças, sim, mas devemos aplicá-las, nunca apenas segui-las, como um rebanho de ovelhas que precisam de um pastor, apenas para que este as conduza ao matadouro. O que fazermos, então, com elas?

Bem, reflitamos com sinceridade.

Todas as crenças sinceras emanam energias benéficas e, sendo mesmo oriundas de sentimentos puros, criam Universos onde são reais. E nesses Universos existe tudo o que sua crença sincera conhece. É difícil saber se a crença criou o Universo ou o Universo já estava lá e atraiu a sua crença, mas esse não é o ponto. O ponto é: se não devemos seguir ninguém, o que devemos fazer com nossas crenças?

Como estamos caminhando juntos, façamos nós dois, eu e você, a mesma coisa: abramos nossos alforjes e coloquemos nossas crenças neles, para que também CAMINHEM AO NOSSO LADO. Iremos precisar delas e, em certos momentos, elas poderão ser as únicas coisas que nos restarão. Não há nada de errado em ser cristão, muçulmano, budista ou umbandista. Apenas não devemos seguir atrás das religiões, pois elas, enquanto supremas donas da verdade, nublam nossa mente, fazendo com que nos consideremos superiores a esse ou àquele indivíduo. Nossa crença é importante apenas para nós mesmos. Não precisamos vendê-la todas as manhãs para sonolentos adeptos de outras crenças, como se o fato de converter alguém para a nossa maneira de pensar fosse uma vitória. Que vitória há em aceitar covardes ao nosso lado? Apenas covardes incapazes mudam suas crenças durante o caminho, em busca de conforto, paz, dinheiro ou saúde. Temos o que desejamos para nós mesmos, não importa em que creiamos. A fé é que é importante, pois ela, em muitas vezes, nos move! E nossa fé deve ser inabalável, seja ela focalizada onde for. Apenas não permitamos que ela seja o mote de nossa guerra, pois essa é a guerra estúpida, travada há milênios. Nada tem a ver com a Guerra Eterna, para a qual estamos caminhando.

Se você chegou até aqui, creio que está tudo claro. Apalpemos, felizes, nossos alforjes, sabendo que estamos levando neles apenas nossa FÉ. E ela caminha ao nosso lado.


(trecho de "Reflexões de Lux Protector")

.

3 comentários:

Me Morte disse...

Nunca li um texto que concordasse tanto, de cabo a rabo, como diria meu pai. Fé, a fé que me move e me empurra para meu destino. Nenhuma filosofia que não a minha, nenhuma verdade que não a que acredito. Wilson, impecável, como sempre. Beijos

Mão Branca disse...

sim, o problema dos seguidores de qualquer fé é que não querem PENSAR. preferem receber os pensamentos de mão beijada. ai basta um orientador filho da puta para a cagada ser completa.

já vi uns pastores que mereciam prisão por tanta intolerância, assim como padres homossexuais tarados que mereciam a morte.

Deveras disse...

Muito Punk, embora não concorde muito com algumas passagens.

ficanapaz, Mestre (e isso não é uma provocação,rs)