terça-feira, 13 de novembro de 2007

Telas





4 comentários:

Fernando disse...

É um soneto grandioso, sem dúvida.

E tb certamente é erudito. As palavras usadas, bem como a disposição delas, não é a coisa mais simples, a coisa mais fácil. E há citação a nomes da alta cultura humana.

Eu gostei da ousadia de rimar terço e verso. E as contrações foram muito boas, seguras, bem colocadas.

Isso quanto à forma. Quanto ao conteúdo é igualmente grandioso. Trata da inspiração em metáfora de elementos espirituais, e tb de um pedido de inspiração por estes elementos, o que permite encarar o soneto tb como uma oração artística (em contraposição à religiosa). Uma idéia interessante!

Mas é importante notar que o rebuscamento desse soneto, ainda que seja pouco pra mente do autor, pode soar muito aos ouvidos dos laicos. É um rebuscamento incomum nos dias atuais, e, por isso, podem julgar o estilo "old-fashioned". Mas que importa? Eu particularmente gostei e gostaria de continuar lendo sonetos assim. :-)

Gigio disse...

jarbas, coloque título, para se destacar no blog.
hehehe.

LENA CASAS NOVAS disse...

Rimas ricas. Isso é muito bom. Um soneto perfeito!

Jarbas Siebiger disse...

Tens razão, 'Dom Giovanni'. Mesmo que o título já esteja onde convém, a falta dele no Blog quebra a estética da diagramação. Portanto, feito.