sexta-feira, 16 de maio de 2008

Na luz de todo dia



Renasço diariamente
na ousadia do despertador
Renasço quando erro
e nos poemas de Rimbaud

quando abafo o meu berro
amansando grandes fúrias
indenizada em canto negro
surpreendida por bitucas

Há um novo nascimento
na melodia de um som
meu remédio pra lamentos
vida longa aos mil tons

Não tenho motivo pra apuro:

minhas dores graves
amenizadas em agudo


Barbara Leite

Um comentário:

Poeta Vagabundo disse...

mil tons nascimento ficou foda!