quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

DESEJO

.
Oh carne de mulher
Fonte inesgotável
De prazeres orbitantes
Doce sublimação
Ternura louca
Argila ideal dos encantos meus
Ser inspirador de um poeta
Lúcido, eternamente profano
Vida minha doce vida
Loucura do meu ego egoísta
Desejo eterno
De um amor transcendental
Mulher tu és tudo, tudo!
Após o prazer...
Não somos nada
.
.
Josue Ramiro Ramalho

2 comentários:

josueramiropoeta disse...

Nunca pensei em melindrar meus poemas,ou escritos com muita redoma. Utilizo a simplicidade de um bom nordestino e assim prossigo nessa estrada assim meio íngreme. Não exijo muito de quem me lê mas quero ser sempre lido,entendido,
contestado! E assim vou tentando melhorar.Mas me fascino mesmo é declamando para o público em êxtase.nos bares, nas praças nas rodas de amigos, nas manifestações e onde rolar uma boa cachaça.

josueramiropoeta disse...

INCONGRUÊNCIAS

Absorvido por um mundo tedioso
No marasmo dos ideais frustrados
Tento manter em equilíbrio
O poder da minha razão
Já não sei mais ao certo
O que está errado
Ou o que está correto
Neste verdadeiro mundo cão
Mas sei que devo seguir adiante
Cada vez mais adiante
Mesmo me sentindo perturbado
Por já ter percorrido
Tantas metades dos meus descaminhos
Sem jamais poder voltar atrás
Ou sem ver algum resultado
Se viver é apenas sobreviver
Acho que não saberei jamais
Oh sina! triste e sublime sina
Por Deus! vê se me satisfaz.