sábado, 22 de maio de 2010

Viagem solitária

Sentindo-se só, o sujeito mais injustiçado do mundo, sentou-se ao silêncio da praça

Ajeitou-se e tirou do bolso o velho caderninho no qual regurgitava o que depois chamaria de poesia

Ao curvar-se para escrever, caiu no próprio umbigo





5 comentários:

Mila disse...

A poesia é uma viagem solitária, onde nossa única companhia são os motivos que nos leva à ela...
Bjs
Mila

Babi S. disse...

gostei (!!!!!!!)

Glauber Vieira disse...

Boa, forma interessante de falar de alguém que não tem autocrítica... pelo menos foi o que entendi, rsrs.

Mensageiro Obscuro disse...

Gostei do poema tão curtinho e expressivo. Nesse poema o solitário parece querer se aprofundar em expressar o que pensa e sente, mas talvez falte-lhe aprofundamento em si mesmo para sair dos problemas sendo mais ele próprio ao se conhecer.

Andreia Hernandes disse...

Maravilhoso!
Parabéns, mais uma vez.

Andreia