domingo, 3 de outubro de 2010

a flor do ópio























os pés-de-boi
ou patas-de-vaca
que importa?
têm flores desenhadas
belas e cheirosas

mas em encostas abissais
a flor do ópio
que induz ao pulo
ao infinito de sensações
ergue-se em resistência
quase frágil
sob os olhos do leste
sob a ânsia e a cólera
só existe pelo fato
doutro querer-lhe
a essência vertiginosa

que importa?

a flor do ópio
impera soberana
a visagem humana.


(imagem de minha autoria)

3 comentários:

Gabriela disse...

Olá!

Achei seu blog, gostei muito dos poemas... Adicionei nos meus links favoritos. Também tenho um blog voltado à expressão artística, além de outras reflexões. Dá uma passadinha lá no meu e, se gostar, link tb ;)

www.mel-e-fel.spaceblog.com.br

Abraços e parabéns pelo talento

Talles Azigon disse...

maravilhosa grafista e maravilhosa poeta eu invejo que consegue exercer as duas artes ao mesmo tempo

Larissa Marques disse...

Obrigada, queridos!