domingo, 19 de dezembro de 2010

Costura.

Boas festas e um 2011
pleno de conquistas!
Beijinhos.

***


Costura.


Infiltre o jeans dos meus pensamentos,
Os silêncios de gritos gemem suas mãos.
Não importa o sussurro do vento
Desabotoe minha perdição em renda.
Renda-se aos meus pés com palavras sacanas,
Preciso coser seus risos no cálice dos meus prazeres.


Não cale múltiplos gozos, não atrase ou adiante os seus,
Crave dentes, devagar, na volúpia dos meus ombros,
Veste a minha carne de saliva e caso eu pareça louca
Seja camisa de força. Force-me a pontos miúdos.
Vire noite quente a acalmar minha tara,
Muitas vezes serei sua madrugada sorridente.


Condene os tecidos ao encontro, faça-me cor predileta.
Arranhe, apalpe, alinhave minha fome a buscar sua fonte.
Olhe manso meu corpo quando eu adormecer; lamba-me.
Quero acordar com suas marcas, seu gosto, seu cheiro,
Amanhecer nua e recorrer as suas roupas. Minha intenção?
Confirmar que o sonhei alma minha em seda!


Eliane Alcântara.

2 comentários:

Martins Pescador disse...

É muito bom uma madrugada sorridente! Belo poema!

Reflexo d Alma disse...

Delíca é poesia sem limites
sem
pre...

"Minha intenção?
Confirmar que o sonhei alma minha em seda!"

Bjins entre sonhos e delírios