sábado, 24 de agosto de 2013

Primeira debruçada de braços sobre o balcão do BDE


UMA DE PORTUGUÊS

Desde a primeira vez que viu “Antônio Maria” na televisão, o seu grande sonho era conhecer Portugal: Açores, Madeira, Lisboa, Porto; as praias de Algarve; as montanhas ao norte do rio Tejo... Os vinhedos... Ah!!! Os vinhedos e seus deliciosos vinhos! O sabor de frutas frescas do Adriano Ramos Pinto em um jantar romântico regado a bacalhau e vozes fadistas como as de Amália Rodrigues, Carlos do Carmo ou Mariza. Tudo bem! Até mesmo a de Roberto Leal. Por que não?
Só que existe um “porém”: por medo de avião, ela nunca foi, e jamais irá, a Cumbica nem a Congonhas, muito menos subirá as escadarias da TAP. Acabou, então, casando-se com Manuel - o “portuga” da “padoca” em frente à sua casa -, se contentando com o seu “cacetinho” e algumas lembranças que ele trouxe a tiracolo de lá da sua terra para cá, quando veio ao Brasil no navio da clandestinidade.


RINHA

Eles nunca se bicaram. Até aquele dia, quando se viram frente a frente no porão gélido daquela casa abandonada, envoltos por ânimos exaltados, sentimentos frios e calculistas. Após a botada, a ação! Um metendo a pua no outro. Foram bicadas e patadas pra tudo o que é lado, machucando, cortando a papilha com lâmina afiada. Sangrando, cada um tentando defender o seu território. Ilusório! E a plateia vibrando. Lutando até a morte, a pancada fatal: nenhum cantou de galo. Os dois foram a nocaute! Blecaute! Fim da briga. Fim daqueles homens que, de uma hora pra outra, viraram inimigos mortais. Em frangalhos, dois corpos abandonados, estendidos no chão. Não sobrou ninguém, muito menos galista para contar história. Ordinários!


EM PAUTA

Questionado sobre a qualidade de sua sinfonia, Beethoven ironicamente responde: musiquinha é a Nona!





Obs:
• UMA DE PORTUGUÊS, RINHA e EM PAUTA, minicontos extraídos do livro “Só Concursados – diVersos poemas, crônicas e contos premiados” – 2010.

• RINHA também foi publicado no livro “É duro ser cabra na Etiópia”, antologia organizada e editada por Maitê Proença.

9 comentários:

edweinels disse...

Micros de primeira grandeza!!! Belissima estreia, amigo Gera!!!

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Bem vindo Geraldo!
Adoro sabe-lo por aqui
logo um dia depois de mim.
Somos vizinhos!
Bjins
Catiaho Alc./Reflexo d'Alma

Toninho Villas Boas disse...

Parabéns amigo Gera!

andrea carvalho deca disse...

sempre bom aprender com os bons.

geraldo trombin disse...

Obrigado, amigos! Estamos aí.
Ed, Catiaho, Toninho e Andrea... abraços

Blog do Piaia disse...

Opa! Estendendo os braços literários! Maravilha! Longa vida!

geraldo trombin disse...

estendendo até o balcão... rsss

Anônimo disse...

Muito boa estreia! Equilibrado e inebriente teor agridoce nas criações. Será um prazer repetir muitas doses mais.

Deva

geraldo trombin disse...

Valeu, Deva! Toma umas lembrando do Pachola rssss