terça-feira, 19 de agosto de 2014

Impressões

É muito fácil de perceber, em uma rodinha de amigos homens, qual a personalidade de cada um deles. Basta, por exemplo, passar uma mulher estonteante na frente destes homens, que cada tipo de caráter tende a se manifestar:

- Ô pedaço de mau caminho! Você é meu número, hein?

Falando em caráter, este é o mau-caráter, que além de canastrão na cantada, é o único casado da roda. Podemos chama-lo também de o cara-de-pau. Uma pequena variação deste tipo é o sem-vergonha, que muitas vezes é também exagerado:

- Nossa, mas isto sim é uma bunda de inaugurar banheiro público!

É, o exagerado realmente passa da dose no comentário. O invejoso já fala:

- Aposto que tirando essa calça legging, despenca tudo. Prefiro a minha namorada, essa sim é perfeitinha...

O problema é que a namorada do invejoso nem bunda tem a coitada. O pessimista já fala:

- Eu lá ia querer um avião desses? Só para ter um monte de marmanjo babando na minha mulher e eu virar corno? Tô fora!

O otimista já é o oposto:

- Com uma mulher dessas, não precisava de mais nada na vida. Podia chover o ano inteiro que eu não ia me preocupar. Ia ficar o tempo todo ali, só aproveitando. Até sem computador eu ficaria, sem problemas. Só alegria!

O tímido, após a mulher passar e quase sumir da vista, apenas modestamente concorda com os demais. Quando é perguntado o que acha, sai pela tangente:

- É verdade gente, ela é... Bem... Hum... – ele dá uma olhada para os dois lados para certificar-se que nenhum estranho está ouvindo, e completa: - Hum... Bonita, eu acho.

Já o convencido declara:

- Desse tipo aí, já cansei de pegar. Tô saindo com uma gata que deixa essa no chinelo. Vocês duvidam?

O convencido é tão seguro de si que faz os seus amigos acreditarem que ele realmente faz e acontece. Contudo, quando os amigos deixam de acreditar no convencido, seu perfil já muda para o de ‘o mentiroso’ na mesma hora.

Mas tem mais um tipo de personalidade, muito curioso por sinal. Quando a menina que desperta a atenção vem andando ainda a uma boa distância, ele é o primeiro que a vê. Quando ela se aproxima, e todos demais estão babando por ela, ele é o único que dá uma discreta piscada que desconcerta a beldade. Depois que ela passa, enquanto os outros estão tecendo seus comentários, ele já sabe onde ela trabalha, muito provavelmente onde mora e até o que gosta de fazer. Ele está a um passo de conquista-la, mas nenhum de seus amigos imagina isso.

Este tipo é popularmente chamado no Brasil por dois nomes: o ‘mineirinho’ ou então, o ‘come-quieto’.




5 comentários:

jorge & miria disse...

Muito boa a seleção de abordagens, André! Tem mais alguns tipos, variáveis de qualquer um desses listados, sempre tecendo os comentários mais distantes da mínima possibilidade de serem taxados de "sensíveis". O "macho alfa" está sempre mais preocupado em passar uma impressão de rústico do que apreciar de fato os atributos da gata! continue escrevendo crônicas legais!

André Bortolon disse...

Creio que é mesmo bem por aí Jorge!!! Um grande abraço a você, meu amigo!!

Cleide disse...

Infelizmente nossa "sociedade" constroem este tipo de pessoa que tem que demostrar ser o melhor! Eu lamento! Onde vamos parar.. André cada vez fico mais surpresa com suas cônicas ! Parabéns ! Bj!

André Bortolon disse...

Valeu a força Cleide!!!

Felipe Bortolon disse...

André, gostei do texto... bom tema este, pior que é a mais pura verdade... todos estes tipos já presenciei... abraço.. Felipe