sábado, 28 de abril de 2007

Predadora


Por Rita Maria de Assis

Sou predadora das coisas livres ao vento...Mesmo que emporcalhadas e corrompidas.
Da nudez das virgens que são mais vibrantes do que as mais experientes putas.
Predadora dos sonhos alheios...Das coisas que a maioria não tem coragem de fazer e isto lhes abrasa a alma, mas nem ao delírio eles se dão ao direito de se entregar e assim colecionam úlceras e gastrites imaginárias, filhas do desejo.
Sou predadora do olhar nauseado que fazem aqueles que espiam pela fechadura da alcova do vizinho e vem o que não querem.
Das cartas de amor que nunca serão entregues a mim e nem a ninguém, pois são queimadas e suas cinzas se transformam em espécie de cupidos.
Dos rituais obsessivos mesmo dos que se julgam retos da cabeça, mas estão atolados num mar de manias e tiques nervosos...Das paranóias enfurecidas que colorem o olhar com uma cor estranha e deixa o corpo alerta para a luta com o fantasma que se vê no espelho
Sou predadora principalmente do amor intenso, pretensamente eterno e safado.
Dos solitários que seguem devaneando pelo caminho...Falando sozinhos...E da própria solidão
Amo os pesadelos que arrancam os seres do mundo do sono...(Ah... os doces braços de Morpheus)...Suados e aflitos...Aos gritos (quisera eu comer estes gritos)
Chupo o soro das lágrimas dos desesperados, dos masoquistas...Dos mal-amados
E em grande estilo estou presente no gatilho que aperta o suicida quando finalmente decide dar cabo em sua vida...Gemendo eletricamente... Clamando pela morte, a qual também enlaço.
Predadora dos abismos, dos desenhos nas nuvens...Dos acidentes e improvisos
Da arte sou amante...E é com arte que realizo meu exercício de ser predadora
Perdão mundo...Mas este é meu berro. É assim que a vida levo, sempre a sugar, perdoem minha fome, Minha carnificina poética...
Mas á todas minhas vítimas eu ofereço um belo presente...Aquele mais ardente: minha fervorosa devoção!

4 comentários:

Anderson Henrique disse...

Com carne e sangue. É assim que se escreve. Palmas.

Me Morte disse...

Minha musa gótica arrebentou. Muito bom teu texto. Com todas as qualidades que te fazem essa menina especial, com um talento a estilo Me, que tanto gosto. Parabéns. Beijão

[barba] Uonderias disse...

o que tá acontecendo?
tá faltando comentários aqui gente

parabéns pelo texto!

Muryel De Zoppa disse...

"pois são queimadas e suas cinzas se transformam em espécie de cupidos.", ah, tem dó!! como pode tanto talento em um só ser? é injusto. é.