domingo, 7 de outubro de 2007

MORENA


Despí teu corpo com os olhos.
Te ví nua,
Em minha mente.
E mente!
Mente quem diz,que te viu passar e nem percebeu...
Sim. Cada um de meus olhos
Te viu, te desejou.
Meu corpo...
Devorou o teu
Sem ao menos tocá-la.
E saciei parte grande
Da minha revolta,
Buscando corrigir
Minha alma torta,
Sendo abençoado
Apenas,
Pelo teu sorriso.
Vem...
Vem nua...
Ou pura...
Quem se importa?
Além dessa minha alma torta
Louca de vontade e desejo?
Sim... Um beijo...
Algo que justifique
E que valha à pena.
Algo, além do gosto do teu sexo,
Algo que me absolva dessa falta de nexo,
Em desejar
Fundir minha pele
Na tua.
Nua.
Morena...

2 comentários:

Deveras disse...

Baita poema, uma declaração com desejo e sedução. Vai mexer com o mulherio...

ficanapaz

lena casas novas disse...

Cadê os demais? Poxa isso aqui tá bom de mais. Bom gosto!