domingo, 23 de dezembro de 2007

Um feliz e próspero Natal a todos...

Segundo o Informe da ONU sobre o Desenvolvimento, citado pelo sociólogo Zygmunt Bauman, o conjunto da riqueza dos 358 maiores “bilionários globais” resulta no mesmo valor que a “renda somada dos 2,3 bilhões mais pobres (45% da população mundial)” (1999: 78).

Já Victor Keegan complementa que “se os 358 decidissem ficar cada um com US$ 5 milhões para se manter e distribuir o resto, praticamente dobrariam a renda anual de quase metade da população da Terra. E os porcos voariam.”

Um feliz e próspero Natal a todos...

Referências:

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as conseqüências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

KEEGAN, Victor. “Highway robbery by the super-rich”, The guadian, 22 de julho de 1996.

2 comentários:

Fernando disse...

Olá, Thorpo!

Sem dúvida uma notícia que abre portas para uma discussão interessante.

Particularmente não condeno os bilionários, porque, como disse num comentário anterior, não condeno ninguém. Mas, mais ainda, porque, nem todo mundo nasceu pra ter dinheiro ou, mais importantemente, para ser línder. A vida é assim: uns poucos nasceram para liderar, outros muitos para serem liderados. E isso em nada faz com que liderados sejam menos importantes, porque, individualmente, todos temos que ter a capacidade de sermos líderes de nós mesmos. Bem, outra idéia que cabe aqui é pensarmos que, com certeza, se o mundo atingisse uma igualdade financeira, logo logo surgiriam zil pessoas ambicionando aumentar suas rendas, realmente enriquecer além do necessário; e não seriam apenas ex-ricos, mas com certeza tb ex-pobres. O dinheiro tem grande participação na nossa sociedade, mas não é ele que define quem as pessoas são.

Nomais, essa notícia soa muito superficial. Dá a entender que os bilionários têm esse dinheiro todo para si, e que não o distribuem por pura avareza. Não é! Esses bilionários são donos de grandes empresas, que empregam zilhares de pessoas em todo o mundo; muitas vezes empresas que sustentam bolsas e mercados para que países, pobres e ricos, não quebrem. Esses bilionários não poderiam simplesmente distribuir suas rendas para fazer dos pobres, supostos ricos; não sem o risco de deixar uma quantidade de desempregados igual aquela quantidade de pobres que se quer ajudar.

A culpa da pobreza do mundo não é dos bilionários, mas de políticos ridiculamente incompetentes, corruptos e egoístas, além dos "chefes" locais, que oprimem e escravizam seu próprio povo, como é o caso das guerrilhas africanas.

Aprobeito tb o espaço para retribuir o feliz natal e ano novo, e desejar o mesmo e muita inspiração a todos! :-)

Glauber Vieira disse...

Mostrando que a desigualdade social não é exclusiva no Brasil... infelizmente.