sexta-feira, 4 de julho de 2008

Perpétuo Mobili

Na noite dos pedidos vazios
empenhamos sonhos
irrealizáveis,
doamos almas
que nem são nossas;
corpos que dispomos

Quem nós somos?

Seres formados de nada
que nunca compreendemos
mesmo insistindo
em tentar saber

De onde viemos?

Somos a eterna pergunta
a questão sem resposta
que move esse mundo
sem saber

Para onde vamos...

Um comentário:

spoke disse...

muito bom, uma sacada à 'obviedade incerta' do amanhã.