terça-feira, 8 de dezembro de 2009

ARCANO 16



o vento brinca com a árvore na janela
e tua voz vem riscar a vidraça

é tão tarde

quando sussurras teus versos
em rimas surreais
que deslizam pelos meus sonhos
junto com umas lágrimas descabidas

é tão tarde

para riscar peles e vidraças
até os mortos sussurram
longas árias 
em cadencias insanas
enquanto você chora
em rimas perfeitas
murmura histórias arcanas

versos
música
hosanas e teu corpo

é tão tarde

eu sussurro
os mortos mentem 
em línguas mortas
enquanto a tua desliza
no céu da boca
segredos estelares
bobagens seculares

mentiras de vento e folha
que eu finjo não ver
nesse gozo esquecido
perdido entre as frinchas da noite
eu entendo
tudo, ou quase tudo,
de tudo que nunca entendi

meus olhos ardem
e te esquecem um pouco mais
fecho o livro sem pressa
guardo o poema junto aos meus 
que dormem sozinhos

teus mortos sussurram
é tão tarde

5 comentários:

Anônimo disse...

posso fazer um convite pro povo?
Nao e um concurso.nao e extremamente serio..mas esperamos boas participacoes..assim como foi co os desenhos de carros...ok :
Aí vai:
convido a todos que gostam de escrever e que estejam afim e claro...que participem se quiser....de nossa nova sessao-contos de fuscas e kombis/---esse carro tem historia!
simples...e so acessar:
http://coisasdefusca.blogspot.com/2009/12/envie-sua-historia.html

ou envie email para coisas@coisasdefusca.com.br sobre sua historia...queixa,.paixao.....xingamentos e outros sobre fuscas ou kombis...historias romanticas...pessoais....viagens....vale tudo.Deixe seu nome e cidade para ficcar"imortalizado" em nosso website......Obrigada a todos
Lulu!!

Joéliton dos Santos disse...

Oi...tudo bom???

Post bacana....
Kero desejar úma ótima semana...

Um forte abraço..Tudo de bom.

Isa** disse...

Fiquei encantada com seu texto! Está de parabéns mesmo... Uma delícia de leitura!!! ;)

Bjos!!!

Rosa Cardoso disse...

Isa e Joéliton, obrigada.

Reflexo d Alma disse...

Ei!
Adorei a forma.
Amo ler versos lindos
e expostos de forma
que se possa acompanhar
a leitura descendo os olhos...

Lindo poema.

Bjins entre sonhos e delírios