sábado, 19 de dezembro de 2009

Do humano.


(Imagem: Google).

Do humano.


Nunca espere que as portas se abram sós,

é preciso ternura para tocá-las.



Não entre sem convite,

é na magia do olhar que se reconhece,

a existência da vontade de habitar.



As janelas guardam segredos,

nunca ouse espreitá-las, modele o interior.



Não afaste do corpo a alma,

não é assim que se ama ou se faz amar.

Aprenda a cativar o que pretende alcançar.



Não respingue passado no presente,

é do futuro que nascerá a felicidade.



Deixa a beleza sua vida enfeitar,

e mais tarde, bem a frente, sorria,

a vida é bela, para quem a ela, com amor se dá.



Eliane Alcântara.
 
 
A todos, Boas Festas!

5 comentários:

Anônimo disse...

Oi Eliane,você sempre surpreende com textos objetivos,muito lindo, muito bem escolhido,parabéns querida amiga. Com carinho

Carlos Lira

Maria Bonfá disse...

oi Eliane ..que lindo poema.. de uma doçura que me encantou..parabens... saudade..beijão

Reflexo d Alma disse...

Uma delícia versos assim tão
delicados em
um momento tão especial
como esse.
Adoro ler seus textos.
Bjins entre sonhos e delírios
"Nunca espere que as portas se abram sós,

é preciso ternura para tocá-las."

RAUL POUGH disse...

"Não entre sem convite, é na magia do olhar que se reconhece, a existência da vontade de habitar." E por aí vai, e por aí segue esta beleza de texto. Bj

sonho disse...

uma maravilha seus poemas adoro muito ler vc eliane beijos